14 de fev de 2011

HISTÓRIA 16

No Bairro do Jasmim
Fonte: Agenda Conte Mais 2011 - FERGS

Todos os bichinhos que moravam no Bairro do Jasmim estavam se preparando para a grande festa do domingo.
Lili e Joca são irmãos. Os dois porquinhos tiraram as melhores notas na escola e, por isso os coleguinhas vão oferecer-lhes uma festa. Moram todos no Bairro do Jasmim. Os irmãos resolveram convidar Cinzentinho, que é um lindo coelho, para a grande festa. Lili escreveu, então, uma linda cartinha, colocou-a em um envelope azul e enviou-a pelo correio.
Cinzentinho é muito bondoso e por esse motivo é querido por todos, porém, possui uma séria ‘dificuldade; não gosta de estudar e ainda não sabe ler!
Passando pela caixa do correio, Cinzentinho abriu a portinha e viu um lindo envelope azul, Nem ligou, Fechou a portinha e disse;
— Perderam tempo. Escrever carta para mim é bobagem. Não sei ler. E foi andando todo contente porque não precisava ir para a escola.
Enquanto isso, no Bairro do Jasmim o movimento era grande. Todos estavam se preparando para a festa.
No domingo à tarde foram para a casa dos dois porquinhos.
Quanta alegria! Todos os amigos levaram lindos presentes, Joca e Liii dançavam no meio da sala, de tanto contentamento. Zé Gatão fazia discurso, elogiando os dois irmãos. Depois abriram os embrulhos e foram brincar.
Nunca se viu tanto brinquedo bonito! Foi uma tarde maravilhosa.
A mãe de Lili e Joca preparou uma linda mesa de doces.
Cinzentinho não sabia de coisa alguma.
No dia seguinte Joca encontrou-se com o coelhinho. Ainda trazia a cometa que ganhara do papai. Sem saber por que o Cinzentinho não comparecera à festa, contou para ele o que havia se passado. Quando acabou de falar, Cinzentinho estava com uma cara terrível.
Quase chorando, disse que ia embora e nunca mais voltaria ao Bairro do Jasmim, pois ali ninguém se importava com ele, pois nem ao menos o convidaram para a festa. Aí o Cinzentinho começou a chorar tão alto que fazia dó
Joca arregalou os olhos e perguntou:
- Você não recebeu o convite? A Lili mandou para a sua casa. Estava num envelope azul.
Então o coelhinho chorou mais ainda e ao mesmo tempo falava assim:
- Que coisa horrível a gente não saber ler!
- Cinzentinho, você precisa voltar para o colégio - falou Joca. - De todos nós, você é o único que não sabe ler. Amanhã vamos ao colégio, para você se matricular.
Cinzentinho começou a compreender o erro que estava cometendo.
No dia seguinte, o coelhinho foi todo contente para o colégio. O professor Corujão ficou tão admirado que até deixou cair os óculos, pois o Cinzentinho, que nunca mais aparecera, ali estava, com os olhinhos brilhando de alegria, pedindo para ser matriculado.
Desde esse dia o coelhinho tomou jeito. Chegava sempre cedo, ajudava na arrumação da sala de aula, espanava, varria, e, chegava a hora das lições, era o primeiro da turma.
Joca chegava a ficar de boca aberta, quando via a disposição do amiguinho.
No fim do ano foi uma beleza!
Cinzentinho alcançara grau dez em tudo. O primeiro em comportamento, em frequência e em notas. Quanta alegria!
Resolveram, então, os bichinhos do Bairro do jasmim, oferecer uma festa ao Cinzentinho, o aluno exemplar.
No dia marcado, começaram a chegar os presentes. Lili e Joca foram cedinho para a casa do amigo.
À tarde chegaram os convidados. Brincaram de cabra-cega e de esconder. Zé Gatão ofereceu ao coelhinho um lindo tapete verde. Lili trouxe um bolo, todo enfeitado de cenouras. Na mesa bem arrumada, estava uma tigela com sorvete de morangos. Todos comeram, brincaram e cantaram. Dizem que a festa foi a mais bonita que já houve no Bairro do Jasmim.
Hoje em dia, o coelhinho continua sendo o aluno número um da sua escola. O nosso amiguinho diz que vai estudar para ser professor, a fim de ensinar a ler os bichinhos, seus companheiros. Ele diz que quando não sabia ler, era como se fosse cego, e que a pior coisa é a gente não estudar.
Viva o cinzentinho! Agora seus coleguinhas estão esperando a formatura do coelhinho para darem outra festa, mais bonita que a primeira!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem-vindo!
Deixe aqui sua mensagem.
Se quiser retorno, deixe também seu e-mail